A MARINA QUE SE DESEJA


Aguardamos que venha a público e que, como se impõe, se dê a oportunidade de discutir publicamente o projecto ou ante projecto da futura marina. Já anteriormente defendi a sua localização em aproveitamento do Porto da Areia Sul, conquistando espaço ao mar, como foi feito em Cascais, e evitando a excessiva ocupação do istmo da península. Consta, agora, que se pretende localizá-la no espaço correspondente ao último pontão de estacionamento do porto de pesca, na zona contígua à futura eclusa.
Não percebo porque se vai amputar as instalações do porto intrometendo uma actividade lúdica na zona que deve, a meu ver, ser exclusiva da actividade piscatória, a não ser que estejamos, desde já, resignados com a redução da actividade piscatória. Se a nossa ambição se fica por uma marina de segunda classe, então bastará ampliar o actual porto de recreio, usufruindo do enrocamento que está previsto e ocupando toda a zona do antigo porto de pesca. Quando fiz parte da direcção do Clube Naval foi oferecido ao clube um estudo de ampliação do porto de recreio, feito por especialistas na matéria, que defendo como o ideal para solucionar a situação. Tem a vantagem de separar as actividades e de manter a marina no local de maior interesse turístico.

Comentários