MAIS UM EPISÓDIO TRISTE NA HISTÓRIA DO NOSSO HOSPITAL


Finalmente a Ministra da Saúde parece que deixou de jogar ao gato e ao rato com a população de Peniche e, de uma vez por todas, anunciou aquilo que já estava na mente de quem nos governa, veja-se nos escritos anteriores o que, sobre este mesmo assunto, foi dito e a surpresa deixa de existir. Há muito que outros se perfilavam na defesa dos seus interesses e conseguiram levar a água ao seu moinho comendo as papas na cabeça dos tolos. Afinal não há hospital novo para construir, agora umas obras de ampliação do actual hospital de Caldas da Rainha é quanto basta, apesar de o actual director do CHON já haver opinado que tal não resolve o problema que daqui a dez anos voltará a colocar-se. Entretanto a população da nossa terra vai ficar descansada porque vai ter ao seu dispor uma ambulância que a transporta em vinte minutos até ao fim do IP6 e depois de mais vinte para atravessar as Caldas chegará ao hospital, em que estado, não se sabe. Com tudo isto Alcobaça foi beneficiada com os equipamentos que pertencem ao nosso hospital, que parece continuar em plano inclinado e à espera do que ainda por aí vem. SERÁ QUE CADA UM TEM O QUE MERECE, não, não é assim, o que temos é sido bem enganados, mas talvez ainda tenhamos, se não voltarmos a ser tolos, a ter oportunidade de reclamar por justiça.

Comentários

  1. Agradecido pelo seu interesse e publicar tão importante noticia acerca do Hospital de Peniche.
    Finalmente alguém apoiou a minha ideia e vai tentar continuar a lutar pelos interesses de todos os penicheiros que necessitam de cuidados de saúde em Peniche e seu concelho. As autoridades que governam Peniche não tiveram uma acção concreta acerca deste delicado assunto.
    Mais uma vez ficou provado que eu tenho razão quando há anos disse e escrevi que não deixassem desmantelar os serviços no nosso Hospital ate o novo CHON estivesse em actividade plena .
    Por designo muito escuros nem a Presidência da Câmara ou os outros diversos Partido no Poder quiseram impedir que os serviços de cirurgia fossem retirados do nosso Hospital sem que o novo Hospital desse o apoio a Peniche e diversos Concelhos como foi anunciado nas contrapartidas do Governo por terem retirado o novo aeroporto dos planos que foram anunciados pelo Partido Socialista no Oeste de Portugal .
    A reposição integral de todos os serviços de cirurgia no Hospital de Peniche impõem se para honrar as promessas que todos os Partidos Políticos em Peniche fizeram quando foram eleitos : Olharem pela Justiça ,Direitos e Garantias das populações que os elegeram.
    Nenhum Partido ainda não veio esclarecer o porque de ate aqui nao terem comentado e reivindicado perante a Senhora Ministra da Saúde Dra. Ana Jorge a normalidade e reposição de todos os Serviços que tiraram de Peniche e que levaram para Alcobaça e Caldas da Rainha .
    Há que Lutar não só com palavras mas sim com acções de Luta Humana e Justa para que a Justiça nos seja feita .
    Mais uma vez o meu obrigado por este seu comentário Sr. Manuel Avelar . Agora só espero que todos os Jornais e Blogues tomem de bandeira este tao importante assunto para nos.
    Que se façam Assembleias Municipais Extraordinarias urgentes para se estudar planos para que a Justiça nos seja feita.
    e estudarem-se planos de Luta Activa para que o nosso problema seja resolvido .
    Finalmente o Homem que Fala Só já tem mais um companheiro de Luta .
    Manuel Joaquim Leonardo
    Peniche Vancouver Canada 2 de Julho de 2010

    ResponderEliminar
  2. O que é incrível é que parece que não há grande preocupação com o que está a acontecer ao hospital.
    Se as pessoas pensam que será melhor ir às Caldas estão enganadas. A minha experiência é negativa e acho que ainda vai ser pior se lá concentrarem os atendimentos e diversas consultas.
    Se as pessoas não estão contentes com o hospital de Peniche devem exigir que sejam criadas condições e não que o deixem ir desmantelando aos poucos!
    Onde estão as forças políticas da cidade? Será que concordam com o que se está a passar?
    Esta terra está cada vez mais esquisita. Parece que estamos a andar para trás e ninguém (ou poucos) se importam com isso!!!!

    ResponderEliminar
  3. Já não sei o que dizer sobre a saúde em Peniche.
    Só uma estoriazinha para ilustrar:
    No dia 22 de Maio dei uma queda de motorizada e magoei-me no ombro direito. Porque, com o arrefecimento natural, as dores começaram a apertar desloquei-me ao Sewrviço de Atendimento Permanente do Hospital de Peniche onde fui observado por dois médicos. Tirada uma radiografia, afirmaram que não tinha qualquer fractura e que as dores se deviam ao deslocamento do ombro, mas que mo iriam colocar no lugar. Após uma manobra de "estica e pressiona" (dolorosa até ao mais profundo da alma!) recomendaram-me que evitasse movimentar o braço por dois/três dias e receitaram-me uns comprimidos para as dores.
    Seis dias depois, cheio de dores fui ao médico (particular) que me mandou fazer uma ecografia para averiguar se teria havido alguma rutura de ligamentos ou outra coisa semalhante.
    Marcada a ecografia para daí a uns dias, o médico que a começou a fazer considerou necessário fazer uma nova radiografia que detectou (dez dias depois) a existência de uma fractura da clavicula e a solidificação da mesma encavalitada e numa posição muito má.
    Consultado um ortopedista, foi-me afirmado que, depois de passados tantos dias sobre a fractura, agora ter-se-ia de esperar a total consolidação do osso para ver o que se deveria fazer mais tarde (manter assim, fazer fissioterapia ou operar?).
    A seu pedido solicitei no Hospital cópia da primeira radiografia, que vista por vários médicos foram unanimes em afirmar que a fractura já existia embora sobre a forma de racadela.
    Conclusão: no Hospital de Peniche, para além de não detectarem a rachadela, ainda me partiram o osso o que me leva a (35 dias depois) ter o ombro descaido, mais curto 3,5 cm e umas dores persistentes.
    Lema a colocar sobre a porta das "urgências: Não Morre do Mal, Morre da Cura.
    Um abraço e...saúde
    Francisco Salvador

    ResponderEliminar
  4. Episódio triste esse do sr. Salvador. As melhoras!
    Em relação a outros momentos de atendimento e até de internamento de familiares, devo dizer que o hospital de Peniche piorou.
    Este ano, depois de internamento e algumas idas às urgências (foram várias semanas nisto) e verificando que o meu familiar não melhorava decidi levá-lo a um hospital distrital onde, depois de umas boas horas em tratamento e alteração da medicação, as melhoras começaram a ser notórias.
    Lamento que a qualidade do atendimento e cuidados médicos esteja a piorar a olhos vistos. Qual o interesse disto? Não há responsabilidades a apurar?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Este blogue não responde a comentários anónimos e apenas responde a perguntas dos comentadores.