Lá estivemos com a curiosidade de saber se sempre haverá petróleo e a resposta está no texto que se segue, também percebemos que a sua exploração contém muitos riscos para a necessária preservação dos nossos pesqueiros. Como é de bom tom os cientistas não arriscam com opiniões definitivas e atiram-nos sempre para as opções dos políticos. Estamos entendidos?
Então aqui vai o texto:

"Arméria -Movimento Ambientalista de Peniche
7 de Junho de 201
Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche
Resumo da comunicação
Haverá petróleo em Peniçhe? As novidades e os novos desafios
Ricardo Ferreira Louro Silva
Departamento de Ciências da Terra/IMAR-CMA, FC -Universidade de Coimbra
Iniciada nos princípios do século passado, a pesquisa de hidrocarbonetos em Portugal tem passado por diversas fases, ora de optimismo, ora de pessimismo. Nos últimos anos esta temática adquiriu um renovado interesse, mas com novos e grandes desafios. Estes resultam da exploração das áreas fronteira offshore, onde o conhecimento geológico deriva somente de observação indirecta, como por exemplo, a partir de técnicas geofisicas como a sísmica de reflexão. Por outro lãdo, a qualidade do registo sedimentar onshore é internacionalmente reconhecida e o seu estudo detalhado permite reduzir consideravelmente o risco de exploração nas áreas onde o conhecimento é deficitário.
Uma das bacias sedimentares mais estudadas em Portugal é a Bacia Lusitânica. Um dos estudos em curso, coordenado por investigadores do IMAR-CMA /Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra, através de um projecto financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e COMPETE-FEDER (PTDC/CTE-GIX/098968/2008, High resolution stratigraphy of the Lower Jurassic otganic-rich marine series in the Lusitanian Basin), visa essencialmente um componente básico dos possíveis sistemas petrolíferos da bacia: o registo onshore das rochas potencialmente geradoras de petróleo. Neste aspecto, os afloramentos carbonatados de idade jurássica que se observam ao longo ~s falésias da Península de Peniche têm-se revelado extremamente importantes, principalmente devido à sua riqueza em matéria orgânica e às óptimas condições de exposição e conservação. Os trabalhos aqui realizados, que incorporam, para além dos investigadores do IMAR-CMAfDCTUC, colaboradores da Universidade Federal do t:uo de Janeiro, Universidade de Lisboa e Universidade Complutense de Madrid, mostram que uma parte das séries sedimentares têm, de facto, um grande potencial para a geração de hidrocarbonetos, embora a sua evolução térmica não seja favorável.
o actual nível de conhecimento acerca dos possíveis sistemas petrolíferos portugueses apresenta ainda um elevado grau de incerteza. No entanto, os dados obtidos permitem algum optimismo acerca da existência de petróleo nas áreas on- e offshore da Bacia Lusitânica e' bacias adjacentes."

Comentários