PREOCUPAÇÃO COM A MURALHA, A GUARITA E NÃO SÓ!










A preocupação, fora do tempo, que o executivo municipal parece demonstrar, agora, não deve ter a ver apenas com a muralha e a guarita, está em risco a existência da praia da Cambôa, da casa do Salva Vidas e da entrada da cidade pelo denominado Portão de Peniche de Cima.
A preocupação serôdia, porventura eleitoralista, é o corolário de uma posição de deixa andar que se verifica há muitos anos e que poderia ter sido evitada.
A causa directa de tudo o que está a acontecer ultimamente deve-se ao permanente desaparecimento da areia que compunha as praias do Quebrado e da Cambôa, originando a que o mar passasse a quebrar directamente sobre a muralha. Ao deixarem o errocamento que se fez, com a intenção de reter as areias, sem estar ligado ao lado da esplanada, criou-se uma dinâmica de aceleração da água que provoca o arrastamento de toda a areia que se pretendia concentrada nas praias do Quebrado e Cambôa. Hoje é frequente ver pessoas a irem até ao Cerro da Praia com a água pelo peito, portanto deixou de existir um fundão que ladeava o Cerro e era provocado pela corrente que se estabelecia de forma mais afastada.
Tudo isto já foi afirmado e reafirmado aqui, pelo que não se aceitam as sacudidelas de água do capote, ultimamente em uso, e lamento que não haja a frontalidade de assumir a percentagem de culpas que cabe aos actuais edis.

As fotos da praia da Cambôa são de hoje e as da muralha foram registadas por Carlos Tiago.  

Comentários