Rejeições Zero de Pescado a partir de 2014


“Uma das medidas da proposta de revisão da Politica Comum de Pescas é a proibição das devoluções de pescado ao mar ou supressão progressiva das rejeições, entre 2014 e 2017, com o fim de proteger a sustentabilidade e a biodiversidade marinhas e estimular o consumo de espécies hoje pouco valorizadas.
Prevê-se que a partir de 01 de Janeiro de 2014 entre em vigor a obrigação de os pescadores desembarcarem e registarem todas as capturas de espécies pelágicas (peixes que vivem habitualmente em cardumes), de acordo com a proposta de regulamento comunitário
.
Prevê-se que no pacote esteja incluída a eliminação dos preços de retirada de pescado e as indemnizações que as organizações de produtores pagam aos seus associados, sempre que é necessário retirar peixe do mercado, por os preços descerem abaixo de um dado nível.”

Nota pessoal  – Esta medida que pretende garantir a sustentabilidade e a biodiversidade marinhas é, por vezes, contestada pelas organizações da pesca alegando a perda de rendimentos e, portanto, da sustentabilidade do sector. É uma visão redutora do problema pois só garantindo a sustentabilidade dos stocks se preservará a tão desejada sustentabilidade do sector e o futuro da pesca.

Comentários