Regulamento de Actividades de Caravanismo e Campismo Ocasional

Nota Justificativa
O Município de Peniche tem sido alvo, nos últimos anos, de um aumento considerável de atividades associadas ao campismo, fruto da presença inquestionável de valores naturais, culturais e urbanos.
A utilização desregrada dos referidos espaços naturais coloca, inevitavelmente, em risco o seu equilíbrio e a sua continuidade futura, bem como, a integridade e segurança das populações locais.
 O Decreto-Lei n.º 310/02, de 18 de dezembro, atribui às Câmaras Municipais competência em matéria de licenciamento do exercício da atividade de acampamentos ocasionais.
Nessa sequência, surge a elaboração do presente regulamento, onde são estatuídas as normas que regimentam situações de acampamentos ocasionais e caravanismo.
 O presente Regulamento, elaborado ao abrigo do artigo 18.º do Decreto-Lei 310/2002, de 18 de dezembro, regula o regime de Atividades de Caravanismo e Campismo Ocasional, fora das áreas adequadas para o efeito, no Município de Peniche.”

Ora analisemos os factos:
Decreto-Lei 310/2002 de 18 de Dezembro

Artigo 18.º 
Licença 
1 - 
A realização de acampamentos ocasionais fora dos locais adequados à prática do campismo e caravanismo fica sujeita à obtenção de licença da câmara municipal, devendo ser requerida pelo responsável do acampamento e dependendo a sua concessão da autorização expressa do proprietário do prédio. 
2 - A realização de qualquer acampamento ocasional fica sujeita à emissão de parecer favorável das seguintes entidades: 
a) Delegado de saúde; 
b) Comandante da PSP ou da GNR, consoante os casos. 
3 - A licença é concedida por um período de tempo determinado, nunca superior ao período de tempo autorizado expressamente pelo proprietário do prédio, podendo ser revogada a qualquer momento.

Entre aquilo que são os poderes conferidos pelo Decreto-Lei 310/2002 de 18 de Dezembro e aquilo que a Câmara pretende instituir vai alguma diferença, que me parece estar na interpretação do que é um acampamento temporário. Ao ler-se, com a devida atenção o destacado a amarelo, relativamente ao artigo 18º, constata-se, ao que me parece, que acampamento temporário será uma concentração de campistas, utilizando tenda, caravana ou autocaravana, por tempo limitado, com determinado objectivo, sob a responsabilidade de alguém que, isso sim, foi previamente licenciado pela Câmara. Daí que me pareça que evocar o Dec.- Lei 310/2002 de 18 de Dezembro para regulamentar o acto de estacionamento de autocaravanas, ao ponto de proibir a abertura de janelas laterais, sem distinguir se são as janelas do habitáculo de condução ou da zona de convívio, é matéria, no mínimo, abusiva.

Comentários