Os peixes movendo-se em direcção aos pólos a uma velocidade de 26 quilômetros por década


"Ilhas do Caribe (banco). "Os trópicos serão os perdedores globais", diz William Cheung, professor associado no Centro UBC Pescas e co-autor deste estudo. "Esta área tem uma elevada dependência de peixe para a alimentação, dieta e nutrição. Vamos ver uma perda de populações de peixes que são importantes para as pescas e as comunidades dessas regiões ".
Crédito: © jovannig / Fotolia
Um grande número de peixes desaparecerá dos trópicos em 2050, conclui um novo estudo da Universidade de Britsh Colômbia, que analisou o impacto das alterações climáticas sobre os recursos haliêuticos. O estudo identificou locais específicos dos oceanos para extinção de peixes locais, mas também descobriram que mudanças de temperatura irão conduzir mais peixe para o Ártico e águas antárticas.
Usando os mesmos cenários de mudanças climáticas como o Painel Intergovernamental Sobre as Alterações Climáticas, os pesquisadores projectaram uma mudança em larga escala de peixes e invertebrados marinhos. No pior cenário, onde os oceanos da Terra aquecerem três graus celsius até 2100, os peixes poderiam afastar-se de seus habitats actuais a uma taxa de 26 quilómetros por década. Sob o cenário mais favorável, onde a Terra se aquecer em um grau Celsius, os peixes mover-se-iam 15 quilómetros em cada década. Isto é consistente com as mudanças nas últimas décadas.
O post acima é reproduzido a partir de materiais fornecidos pela Universidade da Faculdade de Ciências British  Colúmbia."
NOTA PESSOAL - O que fica dito tem muito a ver com o que poderá ser o nosso futuro próximo, será necessário que as entidades que podem ter influência na decisão do futuro da nossa terra se debrucem sobre este tipo de problemas, que, até aqui, todos têm ignorado, assobiando para o lado e perdendo o seu tempo com banalidades.

Comentários