Reserva da Biosfera da Berlenga


Resultados do “Plano de avaliação dos serviços e funções dos ecossistemas da Reserva da Biosfera das Berlengas”, uma pergunta que este blogue fez em 20/09/2015.

“Berlengas geram impacto económico de 12,1 milhões de euros
A reserva natural das Berlengas, ao largo de Peniche, cria na economia um rendimento avaliado em 12,1 milhões de euros, concluiu um estudo apresentado hoje nas I Jornadas do Conhecimento da Reserva da Biosfera das Berlengas.

Cerca de nove milhões de euros advêm da venda de pescado capturado ao redor daquele arquipélago, 322 mil euros resultam da primeira venda de percebes apanhados pelos mariscadores e 2,5 milhões de euros das visitas de turistas e das actividades ligadas ao mergulho e à pesca lúdica.

Para os investigadores, o valor pode vir ainda a ser superior, à medida que a investigação sobre os novos usos dos recursos marítimos for sendo feita e começarem a ter aplicação sobretudo pela indústria, sendo exemplo disso o estudo da aplicabilidade das micro-algas para novos produtos farmacêuticos.”

E acrescentam:

“O estudo do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, coordenado por Carlos Pereira Silva, concluiu que visitam anualmente a ilha da Berlenga mais de 65.650 pessoas, das quais 43.250 na época alta (meses de verão) e 22.400 na baixa.
Por dia, os visitantes chegam aos 687 na época alta e 400 na época baixa.”

NOTA PESSOAL – Só aqui quanto não foi a receita que o nosso município arrecadou, veja-se, portanto, quão importante, para Peniche, é a existência daquela ilha. Quanto aos números apresentados relativamente aos visitantes, faltou referir que, por dia, durante o ano de 2015, foram à ilha 179,863 pessoas.
E chamam exagerados aos publicitários!

Comentários