A OBRA NA PRAIA DA CAMBÔA


14) Receção provisória da empreitada de “Reforço e Proteção Costeira das arribas do Baleal e das praias do Quebrado e da Gambôa” – Escavaterra - Engenharia, L.da:
Deliberação n.º 97/2016: Deliberado aprovar a proposta do senhor Vice-Presidente da Câmara, datada de 15 de janeiro de 2016, que a seguir se transcreve e de que se arquiva cópia do original em pasta anexa ao livro de atas:
«Para efeitos do previsto no artigo 395.º do decreto-lei 18/2008, de 29 de janeiro de 2008, que aprova o Código dos Contratos Públicos, anexa-se Auto de Vistoria para efeitos de Receção Provisória. Parece de homologar o presente auto, e receber a empreitada provisoriamente.»
(Doc.49 NIPG 738/16) 18 – 01 -21016

Nota pessoal – O texto supra é parte de uma acta de reunião da Câmara. Isto prova que a Câmara sabia, como não podia deixar de ser, da existência do projecto. Peniche perdeu uma oportunidade de efectuar o reforço do esporão, uma obra indispensável para reposição das areias na Praia da Camboa, ao longo da muralha até ao Quebrado, para sua defesa, e o próprio Quebrado. Porquê? Por teimosia? Por incapacidade de ver mais além? Por estupidez? Cada um, escolha.

A imagem que ilustra este post foi a usada no que publiquei, sobre o assunto, em 15 de Novembro último.

Comentários