FIM DO VERÃO É TEMPO DE BALANÇO



Quando o verão acaba e com ele a correria para ficarmos bem integrados nas fotografias e reportagens habituais, sempre se arranja um pouco mais de tempo para pensarmos naquilo que foram as promessas efectuadas.

Este meu pensar levou-me a ir rever a meditação que fiz em cinco de Setembro de 2014 e, para surpresa minha, conclui que não era preciso acrescentar mais nada, o texto que segue é a transcrição do que disse naquela data.

Algumas perguntas:
A nossa marina continua a ser um projecto sonhado, enquanto o porto de recreio existente está em acelerado estado de degradação; não se tem ouvido falar do projecto da piscina de ondas; as ciclovias não andaram e a empresa que liderava o projecto saiu do mapa; os parques de estacionamento das praias, em geral, mostraram as suas ineficiências e desorganização; a segunda fase do projecto do fosso das muralhas não dá notícias; a regulação geral do trânsito no concelho está por pensar; a inundação sem ordem da Ilha do Baleal com os carrinhos é para continuar; a instalação de zonas de estacionamento específico para auto-caravanas será para pensar ou bastará reclamar pela sua enfadonha presença; a pousada na fortaleza vai ou não vai; a Berlenga continua a não ter a sustentabilidade anunciada; o estacionamento do Campo da Torre vai continuar como está; a nossa cidade vai aparecer de cara lavada;


Como se vê ele continua actual, apenas se poderia acrescentar mais um ou outro "abortosito", isto vai mesmo de mal a pior!

Comentários

  1. Caro João Avelar. Segundo a antiga Direcção Geral dos Portos a nossa "marina"é apenas e só da categoria mais baixa "Núcleo de Recreio" mas isto não impede que seja a mais cara do país se fizermos comparações com as que são comparáveis. A extrutura está em fim de vida útil, o assoreamento impede o uso de quem tem lugar nos condicionados por galgamentos impedindo o seu uso no inverno, a comissão de festas da n.Sra Boa Viagem impediu o acesso à marina com viatura durante 6 dias, (o estacionamento é outro assunto)depois temos o triatlo, corrida das fogueiras, etc .Do assunto da areia até já fiz queixa ao Provedor de Justiça e 3 anos depois está tudo na mesma!!!!Muitas embarcações não respeitam a velocidade mínima dentro do porto ocasionando muitas avarias na estrutura e nas embarcações (Já houve quem fosse para o Hospital). Por estes e outros motivos estão casas, andares e barcos à venda indo estas pessoas deslocarem-se para outros lugares. Por favor não me falem em turismo pois este assunto, em Peniche, suporta empresas ,postos de trabalho e impostos. Amigo João Avelar o meu desanimo leva-me a já não acreditar num futuro mais risonho para Peniche.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Este blogue não responde a comentários anónimos e apenas responde a perguntas dos comentadores.