UMA REFLEXÃO



Quando se passam décadas a ser governados por gente que se faz eleger na base de promessas que, a partir do dia da eleição, não mais são cumpridas e até, em muitos casos, se faz exactamente o contrário.
Quando, durante a prática dos mandatos, se compensam as amizades com favores que prejudicam a colectividade.
Quando os nossos eleitos, após o acto eleitoral, passam a desconhecer os eleitores e não se preocupam em dar satisfação dos actos que praticam, actuando como donos da quinta cuja administração lhes foi confiada.
Quando, deliberadamente, os interesses do colectivo são renegados a favor dos partidários.
Quando a imprensa em geral abandona o seu dever de defesa e esclarecimento da verdade e envereda por pôr em prática a propaganda, através de meia dúzia de medíocres pensadores, dos interesses de alguns em detrimento do interesse colectivo.

Não vejo, sinceramente não vejo qual é a admiração que o Povo Americano tenha feito a escolha que fez e agora se augura para França.
É que, quando chega a altura de dizer basta, já estamos por tudo e dispostos a dar a volta necessária, sem a reflexão desejável.


Então, agora vamos reflectir de que lado estão os “bons e maus”, que é como quem diz se a causa deve ser atribuída aos populistas, como se generaliza, ou àqueles que os antecederam, que provocaram este estado de espírito, nos tais eleitores que estão pelos cabelos com todos eles. 

Comentários

  1. Caro João Avelar foi exactamente isso que Passos Coelho fez e muito especialmente aos reformados. Eu que o diga.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Este blogue não responde a comentários anónimos e apenas responde a perguntas dos comentadores.