ONDAS GIGANTES NA PRAIA DO NORTE NA NAZARÉ


Como se explica o fenómeno das ondas gigantes na Praia do Norte e a existência destas ondas neste local.

“30 OUT 2013, 19:00
A ondulação do largo que chega à zona costeira propaga-se mais rápido sobre o Canhão da Nazaré, onde a água é mais profunda, do que na plataforma continental adjacente, onde a água é relativamente pouco profunda. Esta diferença na propagação da onda dependendo da profundidade sobre a qual ela se move modifica a orientação das linhas de cristas e cavas (dizemos que a onda é refratada pela topografia, tal como os raios de luz são refratados quando passam do ar para a água), criando zonas onde a onda converge. Esta convergência focaliza a energia da onda o que se traduz-se numa amplificação da onda. Este processo parece ser particularmente eficaz na zona ao largo da Praia do Norte, durante os períodos de ondulação (swell) predominante de Noroeste ou de Oeste, e algumas das simulações que fizemos, recorrendo a modelos numéricos, sugeriram que uma onda ao largo com 10m de altura pode ser amplificada por este processo, atingindo cerca de 20m na área da Praia Norte. Este processo é comum em outros canhões submarinos mas o que parece tornar a Nazaré especial, estamos agora a começar a compreendê-lo, é o facto de a orientação deste canhão e o modo como ele intersecta a linha de costa permitirem que ele modifique as correntes que a própria ondulação cria junto à costa, fazendo com que em certos períodos se desenvolva uma corrente forte que se opõe às ondas. Isto proporciona um mecanismo adicional para a amplificação da onda, que assim atinge alturas extremas.

Em poucas palavras, os canhões submarinos como o Canhão da Nazaré, modificam o modo como a ondulação se propaga, permitindo a existência de zonas na proximidade do canhão onde a onda converge e se amplifica. Ao largo da Praia do Norte, este processo parece ser reforçado por correntes costeiras que se opõem às ondas e pela diminuição rápida do fundo que a onda sente ao passar do canhão para a plataforma próximo.”

Reproduzido parcialmente do Portal da Marinha de que, abaixo, se indica o caminho e cuja apreciação na íntegra se recomenda:

Comentários