E QUAL SERÁ O FUTURO DA NOSSA TERRA?


Tenho procurado não deixar esquecer, sempre que o assunto se proporciona, que o futuro da nossa terra sempre esteve e, continuo a pensar, permanecerá ligado ao mar.
Tive a esperança de que nós, os penicheiros, ou aqueles que para aqui vieram dotados de sabedoria e ajudas monetárias, viriam a dar a volta à situação para bem desta minha terra.
Talvez a minha idade, talvez o comodismo que observo, talvez alguma incompetência que constato ou talvez o hábito do servilismo sempre patente, me estejam a pressionar no sentido de mudar de opinião. 
Quando o porto de pesca foi dimensionado para melhor cumprir a sua missão face ao volume de pescado que aqui chegava, quando ocorreu o 25 de Abril e os homens que realmente diziam perceber das pescas tomaram as rédeas desta actividade, quando vi, finalmente, aqui instalada uma Escola Superior de Tecnologias do Mar tive a esperança de que tudo tinha sido cumprido no sentido de que o tal futuro estava garantido.
Não foi o que aconteceu e não se vislumbra que ainda possa vir a suceder. 
Assim sendo resta esperar que alguém, vindo da Europa ou talvez não, descubra esta nossa terra e a sua vocação e venha empregar os poucos homens do mar, enquanto os houver.


Agosto de 2015.

Comentários