QUANDO CAIR DE QUEM SERÁ A CULPA?



(Fotos cedidas por Carlos Tiago)

A guarita que evidencio faz parte da muralha que liga a Praia da Cambôa à Praia do Quebrado. Para além da fractura visível, toda ela está rachada e em situação de ruína eminente. Venho, ao longo de vinte anos a chamar a atenção para o prejuízo que o mar pode causar ao rebentar directamente sobre aquela cortina de muralha. Tudo se tinha evitado se se tivesse providenciado para que um maior volume de areia fosse mantido na Praia da Cambôa, e a forma já é do domínio público e está escrito em publicações anteriores. Quando a guarita cair cá estou para ver os responsáveis a sacudirem a água do capote.

Afirmação de técnicos idóneos, reproduzida no meu post de 01/12/2007 e que data de 07/04/1994:

No entanto, a rebentação do mar contra a muralha, danificando-a; o risco de destruição do edifício do I.S.N. e a cada vez maior probabilidade do mar chegar ao principal acesso a Peniche, confere a este processo uma importância grande para todos os Penicheiros.

Falava-se então acerca da necessidade de procurar reter as areias na Praia da Cambôa.


Comentários

Enviar um comentário

Este blogue não responde a comentários anónimos e apenas responde a perguntas dos comentadores.