FALAVA-SE DO RATO PRETO DA BERLENGA


É considerado pela UICN (União Internacional para a Conservação da Natureza) como uma das 100 piores espécies invasoras do mundo.

Ainda tem 99 piores ou já está classificado em primeiro lugar?

Tudo parece conjugar-se para que o “repelente” rato preto seja a tal espécie, cuja eliminação será a salvação final do Arquipélago das Berlengas.

Pelo menos é aquele mais fácil de abordar, como bode expiatório, para gáudio dos senhores cientistas que controlam, ou dizem fazê-lo, a biodiversidade da nossa, por enquanto, ilha.

Entramos no quarto semestre de vida do projecto Life-Berlenga e no seu sítio continuamos a encontrar na página dos resultados dos trabalhos a seguinte inscrição:

“Texto sobre resultados vazio”

Temos portanto que aguardar mais uns tempos para sermos informados, como é nosso direito, acerca do que se está a passar na nossa ilha.

Esperamos também que seja abordado o calcanhar de Aquiles do grupo de trabalho, o excesso populacional das "cândidas" gaivotas de patas amarelas, e não só, facto que nunca vi abordado pelos senhores cientistas, ou já estará resolvido sem termos dado por ela?

Penso que a excessiva acidificação do solo, resultado do volume de excrementos depositados, bem como o manto de penas que cobre a parte superior da ilha, serão, também, uma invasão das de pior resultado e, no caso específico da Berlenga, estará em primeiro lugar.

Comentários