Dieta mediterrânica é definitivamente ligada à qualidade de vida


Science Daily (29 de maio de 2012) 

Durante anos, a dieta mediterrânea tem sido associada com uma menor hipótese de doenças e aumento do bem-estar.
Um novo estudo agora associou-a com a saúde física e mental também.

A dieta mediterrânea, que se caracteriza pelo consumo de frutas, legumes, leguminosas (feijão, ervilha, grão de bico e lentilhas, etc), peixes, azeite e nozes, tem provado ser benéfico para a saúde em termos de uma menor hipótese de doença crónica e uma menor taxa de mortalidade.
Um novo estudo liderado pela Universidade de Las Palmas de Gran Canaria e da Universidade de Navarra deu o próximo passo e analisou a influência da dieta mediterrânica na qualidade de vida de uma amostra de mais de 11.000 estudantes universitários durante um período de quatro anos.
"O envelhecimento progressivo da população nos países desenvolvidos torna ainda mais interessante para descobrir os fatores que podem aumentar a qualidade de vida e a saúde da população", conforme explicado por Patricia Sánchez Henríquez, pesquisador do centro nas ilhas Canárias e principal autor do estudo.
Os dados dietéticos foram tomados no início do estudo e auto-avaliação da qualidade de vida foi medida após o período de acompanhamento de quatro anos. No fim de verificar se a dieta mediterrânea foi seguido, o consumo de vegetais, leguminosas, frutas, cereais e peixe foi positivamente valorizado enquanto o consumo de produtos cárneos, lácteos e álcool foi negativamente valorizado.
Publicado no European Journal of Clinical Nutrition , os resultados revelam que aqueles que ficaram com a pontuação mais elevada dieta mediterrânea no questionário de qualidade de vida em termos de físico e bem-estar mental. Esta ligação é ainda mais forte em termos de qualidade de vida física.
A Pirâmide do Mediterrâneo
Henríquez afirma que "a dieta mediterrânea é um importante factor associado com melhor qualidade de vida e pode ser considerada como um modelo de alimentação saudável."
Sua pirâmide alimentar combina alimentos a serem ingeridos diariamente, semanalmente e, ocasionalmente.
Nas principais refeições nunca deve faltar três elementos básicos: cereais, frutas, legumes e produtos lácteos. Além disso, deve incluir uma ingestão diária de 1,5 e 2 litros de água. Azeite constitui a principal fonte de gordura para a sua qualidade nutricional e consumo moderado de vinho e outras bebidas fermentadas é recomendado.
Além disso, peixes, carnes magras e ovos são fontes de proteína de alta qualidade animal. Peixes e frutos do mar também são fontes de gorduras saudáveis.
No topo da pirâmide são o açúcar, doces, bolos, doces e bebidas açucaradas que devem ser consumidos ocasionalmente e em pequenas quantidades.




QUE PENA NÃO ENXERGAREM MAIS ALÉM

(Foto Carlos Tiago)

(Foto Carlos Tiago)

(Foto Carlos Tiago)




A areia que está a ser posta na praia de Peniche de Cima, que as primeiras fotografias mostram, são uma emergência que alguém resolveu utilizar, com a intenção, ao que parece, de conseguir uma praia com três metros de largura. Que pena que o autor da ideia não tenha enxergado que, se ligasse o pontão de pedra ao que suporta a esplanada, teríamos uma praia muito mais larga e em permanência. Será que não dá para pensar que o mar, que tem levado o médão, vai, em pouco tempo, arrastar a areia que ali estão a pôr?


Rendas de bilros. De Peniche para o mundo


Rendas de bilros. De Peniche para o mundo
17-05-2012 16:50
Rendilheiras vão executar trabalhos para serem aplicados em jóias de alta qualidade, entre elas um colar em ouro com diamantes, designado “Coração de Maria”, que custa entre 7.000 a 7.500 euros.

As rendas de bilros de Peniche vão ser aplicadas em jóias, tendo sido hoje estabelecida uma parceria nesse sentido com o objectivo de preservar a arte e encontrar novos mercados para o artesanato local em todo o mundo.

A Câmara de Peniche assinou um protocolo com a Sociedade Ricardo & Ricardos Joalheiros, de Lisboa, segundo o qual durante cinco anos as rendilheiras associadas à Escola das Rendas de Bilros de Peniche vão executar trabalhos para serem aplicados em jóias de alta qualidade.

Depois da moda, é intenção da autarquia "continuar a criar condições para promover as rendas e contribuir para que as rendilheiras tenham uma importante fonte de rendimentos, com impacto na economia local, uma vez que as vendas tradicionais de rendas não são suficientes para a sua subsistência", explicou o vice-presidente da câmara, Jorge Amador.

"Queremos encontrar nichos de mercado que possam valorizar as rendas, pelo rigor, qualidade e perfeição que a sua execução requer, e a joalharia é um deles", explicou o autarca, adiantando que uma das dez jóias em que as rendas de bilros vão ser aplicadas é um colar em ouro com diamantes, designado “Coração de Maria”, que custa entre 7.000 a 7.500 euros.

No caso da moda, a aplicação de uma renda de bilros num vestido permite lucros a uma rendilheira entre os 250 a 600 euros, muito acima do valor de mercado de uma renda por si só.

No final de Julho, a exposição das dez jóias seleccionadas para terem aplicações de rendas de bilros vão estar patentes na Mostra Internacional de Artesanato em Peniche, onde vão ser apresentadas ao público.

Promover artesanato no mundo
A Câmara e joalheiros estão envolvidos no projecto “SER Portugal”, marca e patente registada pela sociedade comercial, tendo em vista a divulgação em feiras nacionais e internacionais de jóias tradicionais portuguesas associadas à qualidade e beleza da renda de bilros.

A autarquia garante assim a promoção das rendas no estrangeiro, com a exposição de jóias em feiras internacionais como Alemanha, Brasil e Rússia, os mercados potenciais, onde existe poder de compra para as jóias.

No âmbito desta parceria, o município de Peniche, responsável pela escola de aprendizagem de rendas de bilros local, assegura o número de rendilheiras necessário para a execução dos trabalhos de aplicação.

Com o objectivo de preservar e valorizar a arte, o município tem vindo também a associar as rendas a várias figuras públicas, a última das quais o humorista Herman José. A escola de bilros da cidade possui uma centena de rendilheiras a trabalhar e a ensinar a arte a 60 crianças.

Notícia divulgada por Rádio Renascença cujo caminho se indica:

Dia Mundial da Hipertensão


“Estilos de Vida Saudáveis, Pressão Arterial Saudável” é o lema das comemorações do Dia Mundial da Hipertensão que este ano têm lugar em Peniche.

O Instituto Portuário e dos Transporte Marítimos, I.P. associa-se às comemorações, através de uma iniciativa de um grupo de funcionários habilitados com formação em socorrismo, realizando rastreios gratuitamente em Lisboa, nos Serviços Centrais, no Porto de Peniche e no Porto da Nazaré. Serão também afixados cartazes, nestes locais e distribuídos folhetos informativos sobre a importância da prevenção, diagnóstico e tratamento da hipertensão.

Veja a notícia completa em: http://portosdeportugal.pt/sartigo/index.php?x=8229

MEMORIAL A MONSENHOR BASTOS


(Fotos cedidas por Carlos Tiago)

Está constituída a comissão que levará por diante a instalação de um memorial a Monsenhor Bastos. Ao que parece a ser instalado no Lar de Santa Maria. Um outro local que, também poderia ser indicado, seria a rotunda da Nª Snrª da Boa Viagem, lugar com o seu nome e onde ele costumava passar regularmente os seus momentos de meditação e oração.

Desgaste dos oceanos pode custar 1,5 biliões de euros anuais


“Se nada for feito para mitigar as mudanças climáticas, o custo dos desgastes causados aos oceanos poderá situar-nos em dois biliões de dólares (1,5 biliões de euros) anuais até 2100, estima um estudo publicado esta quarta-feira.
Coordenado pelo Instituto do Ambiente, de Estocolmo, o estudo, intitulado "Valuing the Ocean" (Estimar o Valor dos Oceanos), foi realizado por uma equipa multidisciplinar que calculou os custos até 2050 e 2100 na pesca e no turismo, resultantes de tempestades, da subida do nível das águas e na redução da função oceânica de poço de carbono.
Foram considerados dois cenários, adianta a AFP, o primeiro dos quais relativo à continuação de um nível elevado de emissões de gases com efeito de estufa, que deverá conduzir a uma subida média da temperatura em quatro graus até 2100.
Neste caso, o custo da degradação dos oceanos foi estimado em 1,98 biliões (milhão de milhões) de dólares por ano, o que corresponde a 0,37% do produto interno bruto mundial, com as perdas do turismo quantificadas em 639 mil milhões de dólares e as da pesca em 343 mil milhões.
O segundo cenário inclui uma redução rápida das emissões nos próximos 90 anos, o que limitaria o aumento da temperatura média do planeta a 2,2 graus centígrados.
Neste caso, os prejuízos causados aos oceanos ascenderiam a 612 mil milhões de dólares, com as consequências negativas para o turismo estimadas em 301 mil milhões e as da pesca em 262 mil milhões de dólares.”
"Estes números são apenas a parte emersa do icebergue, mas dão uma indicação do custo que se pode evitar, em termos de futuros desgastes ambientais nos oceanos à escala global", sublinhou o diretor do grupo de investigação sobre a economia do clima no instituto sueco, Franck Ackerman.
Os cientistas explicam as degradações estimadas com vários argumentos, como a acidificação e o aquecimento crescente dos oceanos, a multiplicação de zonas mortas, a subida do nível das águas e a poluição marinha.
As estimativas avançadas pelo estudo estão longe de ser exaustivas, admitem os autores, que consideram que a inação seria "dramática".

Origem do texto:



PROMAR é o Programa Operacional das Pescas integrado no Fundo Europeu das Pescas (FEP) para o período de 2007-2013. Este programa foi aprovado em Dezembro de 2007, pela Comissão Europeia e fixa um montante total de apoios públicos ao sector em 325 milhões de euros.



Projectos apoiados pelo Gacoeste

Atlanticsafaris                    Custo total       53.777,23   Passeios turísticos, educação ambiental
                                            Apoio estado      6.012,18   
                                            FEP                   18.038,42
Centro de Recursos Do-
cumental e Etnográfico do
Oeste                                  Custo total        58.592,78   Passeios turísticos, educação ambiental
                                            Apoio estado     10.986,15
                                            FEP                    32.958,34
João Valentim Fernandes  Custo total          3.603,90   Aumento rentabilidade e nº passageiros
                                             Apoio estado         402,88   
                                             FEP                     1.208,63   
Mergulho Profissional        Custo total        40.000,00   Aumento rentabilidade e nº passageiros
                                             Apoio estado       5.500,00
                                             FEP                    16.500,00
Noroeste                             Custo total         29.458,66   Marit/turist.-Nazaré-passeios vela-loja
                                             Apoio estado       2.099,62
                                             FEP                      6.298,86
Pilado Add Value                Custo total         26.842,00  Valorização económica pilado do oeste
                                             Apoio estado     14.603,42
                                             FEP                    10.253,47
Porto Batel-Oeste Atlantº  Custo total       105.472,50  Marit/turist modernização embarcação
                                             Apoio estado     11.790,63
                                             FEP                    35.371,38
Penichemartv                      Custo total         25.878,83  Transm. informação formato multimédia
                                             Apoio estado       3.558,34
                                             FEP                    10.675,02
Percebeiros nas Berlengas Custo total        69.360,00   Livro sobre temática do mariscador
                                             Apoio estado     13.003,13
                                             FEP                    39.009,39
Julius                                   Custo total         56.272,50   Criar condições pernoitar Berlª/Farilhões
                                             Apoio estado       6.290,63
                                             FEP                    18.871,83
Embarcação Marit/Turist   Custo total       120.758,99   Actividade de mergulho
                                             Apoio estado      13.722,50
                                             FEP                     41.167,50
Plano Markting e Promo-
ção Costa Marítª ObidenseCusto total         39.566,03   Promoção costa marítima de Óbidos
                                              Apoio estado       7.377,19
                                              FEP                    22.131,58
Promoção Actividades
Haliotis                                Custo total          35.241,25   Promoção das act. mart/tur, mergulho
                                             Apoio estado         4.004,69
                                             FEP                      12.014,06

Ajuda do estado 93.339,18; Fundo Europeu das pescas 246.460,11; Investimento próprio
325.025,38; Total Geral 664.824,67 

A ARMÉRIA EM ACTIVIDADE

A Arméria continua com as suas acções de contacto com a natureza, sempre abertas a quem queira participar. O cartaz que publico é, também, um convite público.

PRAZER SILENCIOSO!

O anoitecer da nossa ilha são momentos de prazer silencioso!

Cartão de Visita do Facebook