O ANTIGAMENTE DA NOSSA TERRA – 018




O Porto de Revés, porque constituía um local abrigado dos vendavais de sudoeste pela Ponta da Investida, constituía o local de refúgio das embarcações. Este braço de mar, anteriormente, também era conhecido por Rio. O espaço ficava de tal maneira cheio de embarcações que, por vezes, dava para se ir até à praia saltando de barco para barco. 

O Paço D. Pedro I ou Paço da Serra d’El Rei
















A Arméria, num dos seus passeios, deu-me a oportunidade de visitar com algum cuidado e interesse o interessante Paço D. Pedro I. Não o conhecia e constituiu, para mim, uma agradável surpresa. Os seus proprietários estão empenhados na reconstrução possível do seu original e na minha opinião, pouco técnica e conhecedora, afigura-se-me que está ali mais um futuro ponto turístico de muito interesse para o nosso concelho. As imagens que publico darão a possibilidade de aquilatarem o que venho dizendo. Aos seus proprietários desejo que atinjam o pretendido, até porque o concelho de Peniche será o maior beneficiado.


O ANTIGAMENTE DA NOSSA TERRA – 17






A construção do cais de descarga da Ribeira Velha facilitou a vida dos nossos pescadores, pois antes a descarga era feita numa rampa varadouro, o que obrigava, muitas vezes, a que, no acto da descarga, tivessem que entrar na água até à cintura. Esta primeira versão tinha cerca de metade do cumprimento da actual, que o Cabo Avelar e as embarcações da Capitania utilizam.

UMA OPINIÃO


A propósito do aspecto gélido e, demasiadamente ateísta, que tem a recentemente inaugurada casa mortuária, ofereceu-se-me proferir o que penso, da seguinte forma:
Governar uma cidade, como governar um país, não pode ser na base da imposição da vontade absoluta daqueles que, às vezes com os votos de uma minoria, foram eleitos.
A nossa casa mortuária foi feita para servir todos e todas as confissões religiosas e não tem, por isso, que ostentar símbolos inerentes a qualquer delas, o que tem, isso sim, é a obrigação de dispor dos meios necessários para que todas possam, livremente, exercitar as suas crenças.

Enguias



 DTU Dana - o maior navio de pesquisa da marinha da Dinamarca - passou três semanas a explorar e colher amostras nos locais de desova da enguia europeia no Mar dos Sargaços, entre as Bermudas e as Índias Ocidentais. A primeira fase do dinamarquês Eel Expedition 2014 foi concluída com sucesso.

A expedição - liderada por DTU Aqua e compostos por especialistas de diversas universidades dinamarqueses e internacionais - está no Mar dos Sargaços para investigar se as mudanças relacionadas com o clima para o local de desova da enguia ou das correntes oceânicas que transportam as larvas da enguia para a Europa têm causado o dramático declínio no número de enguias. A expedição também está investigando as condições de alimentação para as larvas da enguia, já que ninguém sabe do que realmente se alimentam. Esta ignorância frustra os esforços para fazer crescer larvas na aquicultura, o que, de outra forma, seria uma opção para garantir o fornecimento de enguias, que é considerado uma iguaria na Dinamarca.

CREOULA RUMO AO MAR DO NORTE COM A APORVELA - VERÃO 2014



A Aporvela volta este verão a fazer uma travessia no NTM Creoula no âmbito do programa  “Jovens e o Mar” que, todos os anos, dá aos jovens a partir dos 14 anos a oportunidade de embarcar num grande veleiro e experimentar a vida no mar, fazendo parte de uma tripulação.
De dia 21 Junho a 31 de Julho, com partida no Alfeite, a Aporvela e o NTM Creoula irão navegar em direcção ao Mar do Norte e às famosas The Tall Ships Races. As escalas do navio passarão por Cherbourg (França), Harlingen (Holanda), Fredrikstad (Noruega), Antuérpia (Bélgica) e Avilés (Espanha). 
A Aporvela convida a população portuguesa a experimentar a vida a bordo de um dos barcos mais emblemáticos de Portugal, fazendo parte da tripulação e participando em todas as actividades que permitem a navegação do NTM Creoula como por exemplo: ver cartas náuticas, estar ao leme, manobrar as velas, aprender a fazer nós, fazer a manutenção e limpeza do Creoula, tudo isto com o mar e a mais bela paisagem do nosso país no teu horizonte. 
O NTM Creoula é um lugre de quatro mastros e 67 metros de comprimento com capacidade para 51 instruendos. O treino de mar é assegurado pela guarnição da Marinha Portuguesa, em número propositadamente reduzido com o objectivo de dar aos recém-chegados instruendos a oportunidade de participar em todas as manobras e tarefas. A bordo segue também uma equipa de monitores da Aporvela que irão organizar os turnos, promover a animação geral da tripulação e fazer todo o tipo de actividades relacionadas com o Mar.

Contactos:

As reservas de lugares e pedidos de informação devem ser feitas para a Aporvela: geral@aporvela.pt ou para o telefone 218 876 854.

PRAZER SILENCIOSO!

O anoitecer da nossa ilha são momentos de prazer silencioso!

Cartão de Visita do Facebook