CONTINUA A TRAGÉDIA DO NOSSO HOSPITAL

A propósito do que se está a passar com o nosso hospital acabo de ler o protesto do nosso conterrâneo Snr. Rogério Correia, publicado pelo Jornal das Caldas (On Line), e porque estou de acordo com o seu conteúdo, publico o link que lhe dá acesso e cuja leitura recomendo.
É preciso que outra vozes se juntem a fim de se tentar retirar da letargia em que mergulharam a Câmara Municipal, a Assembleia Municipal e as forças políticas locais.

O Dia Mundial do Mar



O Dia Mundial do Mar, criado pelo conselho de Administração da Organização Marítima Internacional (IMO), foi comemorado pela primeira vez a 17 de Março de 1978, durante a Convenção da Organização Marítima Consultiva Intergovernamental (IMCO), repetindo-se todos os anos.

Actualmente, a comemoração decorre na última semana de Setembro, cabendo a cada Governo determinar o dia exacto em que é celebrado. Esta data é destinada a chamar a atenção para a importância da navegação segura, da segurança marítima e do ambiente marinho e para enfatizar o trabalho da Organização Marítima Internacional.

O Dia Mundial do Mar de 2010 foi a 23 de Setembro, subordinado ao tema “Ano do Marítimo”, decorrendo as celebrações desde o dia 18 até 30 de Setembro.

No Programa Geral do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, IPTM, constam diversos eventos destacando-se uma “Sessão Comemorativa” em Paço de Arcos no dia 23 e, na Delegação Centro, um conjunto de várias iniciativas desde o dia 18 até 30 de Setembro.

De 24 a 30 de Setembro (10H00-12H30 e 14H00-22H00) estão patentes ao público no edifício do “Cais do Cerco” do Porto de Peniche, os trabalhos apresentados no concurso de fotografia “Um Olhar Sobre o Mar” e a exposição Temática “ O Ambiente e a Poluição Costeira”.

Para ajuda aos interessados publiquei as imagens da nova portaria do porto de pesca, por onde é possível chegar ao local e, também, do edifício da nova lota do cerco onde está instalada a exposição, cuja escadaria exterior dá o desejado acesso.

A FALTA DE CIVISMO OU A INCÚRIA DE QUEM DEVE CUIDAR DAS ARRIBAS DA NOSSA COSTA


As imagens acima publicadas representam a amostra do que se pretende transmitir em título e, infelizmente, é observável em toda a costa.
Não seria preciso mais do que apelar ou confiar no civismo de cada um de nós, para se perceber que o acesso continuado de veículos até ao limite das arribas, constitui um dos factores maiores da sua degradação. Esta degradação choca a visão de quem as percorre e é o espelho, aos olhos de quem nos visita, da falta de ordenamento que se verifica ao longo de toda a nossa costa. Urge, por isso, pôr cobro a toda esta falta de respeito pela maravilha com que a natureza nos contemplou e que temos a obrigação de legar aos nossos vindouros.
Já que parece não se poder confiar no civismo de cada um, resta que quem nos governa ponha ordem nesta desagradável situação.

WORKSHOP



O workshop irá trazer aos que tiverem a oportunidade de preencher uma das 25 vagas, colocadas à disposição de alguns, conhecimentos novos que, muito bem, irão complementar a sua formação.
O programa traz a Peniche personalidades ilustres que vão falar acerca das bacias sedimentares e a sua propensão para gerar hidrocarbonetos e do Jurássico Inferior, através da observação da costa marítima de Peniche, nomeadamente, no Alto do Trovão.

Não posso, nem sei, discutir, em antecipação, quer o programa e, muito menos, o conteúdo das intervenções, apenas me atrevo a comentar o assunto dos hidrocarbonetos e alertar para os interesses da nossa cidade e comentar a situação em que se encontra o Alto do Trovão, a que é dada a importância que na realidade tem.

A propósito das conhecidas intenções de pesquisa da possibilidade de existência de hidrocarbonetos na proximidade da nossa costa apenas gostaria de chamar a atenção para importância que para nós penicheiros, e povos da beira-mar próximos, representa a existência do Canhão da Nazaré, no que respeita à geração de alimento dos cardumes que aqui estacionam, e que poderão ser afectados por uma presumível exploração de crude.

Quanto ao Alto do Trovão é indiscutível e sobejamente conhecida, a nível internacional, a sua importância, por isso, a sua preservação é imprescindível e para isso necessário que se proceda ao ordenamento da zona. Será necessário impedir a invasão indiscriminada do espaço por viaturas criando um espaço limitado de estacionamento e construir uma passagem pedonal elevada entre esse parque e a zona de estrada junto ao acesso á Plastimar. O fim em vista será evitar e pisoteio próximo da importante arriba. Sobre este último assunto publico, ao alto, algumas fotografias.

PRAZER SILENCIOSO!

O anoitecer da nossa ilha são momentos de prazer silencioso!

Cartão de Visita do Facebook