Mensagens

A mostrar mensagens de 2019

PENICHE e o Plano Director Municipal

Imagem
À atenção do arquitecto responsável pela sua revisão e dos políticos com actuais responsabilidades no mesmo.
O argumento mais válido e utilizado na luta contra a construção da central nuclear em Ferrel foi a nossa proximidade de uma falha sísmica, portanto, ao pensar o nosso plano director não nos podemos alhear desta realidade.
Também a nossa situação geográfica, referindo-me, agora, à península onde está instalada a cidade, tem fragilidades especiais, que temos que considerar, pois o tal tômbolo de Peniche, se o leitor quiser identificar-se com a palavra tômbolo deve clicar “aqui”, é uma peça que todos devemos considerar nas sugestões que queiramos fazer em colaboração com os ditos responsáveis por esta revisão.
Ainda ligado a esta problemática devemos considerar a existência da barragem de S. Domingos, que poderá ser uma bomba relógio com os seus milhões de quilolitros de água suportados pelo seu dique.
Tudo isto sugere que a zona mais vulnerável do nosso concelho é o istmo (tômbol…

PARA QUE SERVEM AS ACTAS DA CÂMARA?

Imagem
Acta nº 53 de 17 de Dezembro de 2018 22) Candidatura “Reabilitação do Edifício da Antiga Central Elétrica” – Pelouro dos Fundos Comunitários: ---------------------------------------------------------------------------------------------------Deliberação n.º 1553/2018: Deliberado aprovar a proposta da senhora Vereadora Ana Rita Petinga, datada de 12 de dezembro de 2018, que a seguir se transcreve e de que se arquiva cópia do original em pasta anexa ao livro de atas:------------------------------------------------------------ «Considerando a informação do Gabinete de Planeamento Estratégico, Estudos e Projetos, datada de 12 de dezembro de 2018, em anexo, proponho que a Câmara Municipal, no uso da competência prevista na alínea r) do n.º 1 do artigo 33.º do Anexo I, da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, aprove a submissão da candidatura "Reabilitação do Edifício da Antiga Central Elétrica".» O senhor Vereador Rogério Cação não esteve presente na sala de sessões durante a aprecia…

OS VENDILHÕES NO TEMPLO

Imagem
Quando JESUS os correu do templo fê-lo porque considerou que aqueles intrusos estavam a desvirtuar os objectivos a que o mesmo se destinava, porque o templo era posse de alguém que nele homenageava a palavra de Deus.
A nossa fortaleza é um equipamento de grande importância para Peniche, foi construída para garantir a paz de uma população e de um país, tendo, por isso, objectivos precisos.
A dada altura da sua vida houve alguém, que hoje a generalidade das pessoas não tolera, que, abusiva e ditatorialmente, entendeu desvirtuar a sua utilização, diga-se de passagem, a exemplo do que outros já haviam feito, roubando à cidade de Peniche a posse daquele equipamento.
A dada altura, quis o destino, que se desse a libertação do templo e, a população de Peniche, respirou de alívio e tomou posse daquilo que sempre foi seu, renegando e desejando que não voltassem mais ditadores a tomar a posição dos anteriores.
E, ao longo de outros quarenta anos julgou que não haveria mais ditadores que lhe roubass…

ENTERRO DO SENHOR

Imagem

AS MARIONETAS

Imagem
A marioneta não tem vida própria e, portanto, não pensa e move-se através de mãos ocultas que lhe transmitem os passos a dar sem a preocupação de apreciar se é isso o que os seus espectadores querem. Não dão satisfações a ninguém porque isso não está ao seu alcance, a sua missão é, apenas, actuar de acordo com o que o mentor das mãos ocultas determina.
Se esta descrição estiver coincidente com alguma situação real é, como se costuma dizer, pura coincidência.

PASMEM FILHOS DE PENICHE

Imagem
Ao ver gente de Peniche a rejubilar com o que se vai passar na fortaleza no dia 27 de Abril causa-me nojo.
Independentemente da questão política, que cada um lhe dará o valor que a consciência, se a tiverem, lhes dita, enoja-me o facto de não ter visto, quase ninguém, a insurgir-se com o desaparecimento do Museu Municipal de Peniche.
Não admira, também há filhos que batem nas mães.

À VOLTA DA MINHA TERRA (16)

Imagem
(Do Carreiro de Joanes ao Campo da Torre)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península. 
ADVERTÊNCIA - Todas as fotografias que foram reproduzidas nesta série, que aqui termina, correspondem a obras da Natureza, com excepção desta última que é uma obra de penicheiro.


À VOLTA DA MINHA TERRA (15)

Imagem
(Da Varanda de Pilatos ao Carreiro de Joanes)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península. 

À VOLTA DA MINHA TERRA (14)

Imagem
(Da Cruz dos Remédios à Varanda de Pilatos)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (13)

Imagem
(Do Frei Rodrigo à Cruz dos Remédios, o troço que aguarda uma passagem aérea em madeira)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (12)

Imagem
(A caminho do Frei Rodrigo, aquele que foi o miradouro mais bem situado, agora, em ruína e a aguardar substituição)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

Á VOLTA DA MINHA TERRA (11)

Imagem
(Seguindo a caminho do Frei Rodrigo e ainda em situação próxima do Alto do Trovão e Prainha do Abalo, pode contemplar a Boneca, um afloramento rochoso de aspecto monumental.)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (10)

Imagem
(Chegamos ao Alto do Trovão e Prainha do Abalo, que são geologicamente considerados locais distinguidos  como de interesse mundial, conforme os galardões ali fixados)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (9)

Imagem
(Do Porto da Areia Norte já vislumbramos o Alto do Trovão)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (8)

Imagem
(Ao deixar as maravilhas da Papôa tem à vista o Porto da Areia Norte)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (7)

Imagem
(A Papôa, agora, com acessos mais seguros merece a vossa visita)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (6)

Imagem
(Quando chega à Papôa é assim que vê o Forte da Luz)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.


À VOLTA DA MINHA TERRA (5)

Imagem
(E a seguir ficamos com a Papôa à vista, uma jóia que merece a visita)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

O que se passa com a obra do IP 6?

Imagem
Aquilo que o comum cidadão e munícipe desta tão linda cidade sabe, é o que foi transcrito nas actas da Câmara.
A acta nº 47 de 05/11/2018, refere o seguinte: “Senhora Vereadora Cristina Leitão Perguntou se existia informação, atualizada, relativamente ao estado da obra para o IP6. O senhor Presidente da Câmara disse que as Infraestruturas de Portugal informaram que vão ter condições para começar a obra em janeiro de 2019.
A última acta da Câmara publicada data de 26 de Dezembro de 2018.
Pelas actas ainda não chegamos a Janeiro de 2019, porém, quando lá passamos, constatamos que o snr. Presidente foi aldrabado pelas Infraestruturas de Portugal, o que não é admiração nenhuma.
Será que foram adiadas para depois das eleições?

À VOLTA DA MINHA TERRA (4)

Imagem
(Da arriba do Forte da Luz para a Papôa)
Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.

À VOLTA DA MINHA TERRA (3)

Imagem
(Chegados ao Forte a Luz, que apesar de abandonado merece a visita) 

Esta série de imagens, são representativas do que se pode observar quando alguém se propõe dar a volta à nossa península.